QUEM SOMOS

A Academia Corpo & Saúde é uma academia de GINÁSTICA e MUSCULAÇÃO que teve seu início no dia 04 de junho de 2001. Durante estes quase 13 anos construímos um trabalho sólido, priorizando a QUALIDADE dos serviços e o BEM ESTAR de nossas alunas. Temos um imenso orgulho por sermos a PRIMEIRA Academia a oferecer um trabalho ESPECÍFICO para o público FEMININO em Gravataí/RS.
Iniciamos nossas atividades com uma esteira, um aparelho de musculação, cinco alunas e muita coragem. Atualmente dispomos de várias Esteiras, Transports, Aparelhos de Musculação e vários acessórios para as aulas de Ginástica e Treinamento Funcional.
Entre os diversos serviços que a Academia Corpo & Saúde oferece podemos citar: Programas específicos para várias patologias (Osteopenia, Tendinites,Hérnias de disco, etc.), Avaliação Física, Treinamento Funcional (utilizando Jump, Bola suíça, Extensores e Treinamento Suspenso), aulas de Jump, Power Ball e Localizada. Estamos sempre busca das novidades tanto nos exercícios, como das músicas, das pesquisas científicas e passamos tudo isso para nossas alunas.

Nosso endereço:
Av. ELY CORRÊA, 930 - Parque dos Anjos - Gravataí/ RS - 2º PISO - Próximo ao Super Rissul
TELEFONE: 30 43.35 58
E-MAIL: patysluiz@ibest.com.br

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Neste ano de 2014 nossa academia completa 13 anos e muitas mudanças já foram feitas durante estes anos, nossa,  nem sei dizer quantas foram. Mas acho que essa que foi feita agora marca um novo ciclo, posso dizer também um novo recomeço. Agora estamos com uma sala mais ampla de Musculação, uma nova sala de Fitness que em breve será climatizada e uma nova Recepção. Todas essas mudanças são feitas visando o bem estar de nossas alunas e, a cada uma que entrava o olhar de surpresa e de felicidade me enchia de alegria. Os comentários em 3 dias foram totalmente positivos!!! Em breve fotos!!! 









quarta-feira, 2 de abril de 2014


DICA PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

           O primeiro passo para acertar nas escolhas para a alimentação diária é conhecer as ofertas de alimentos disponíveis. É saber que há inúmeras fontes de calorias, vitaminas e minerais e lembrar que é importante variar o cardápio. Imagine a variedade de hortaliças, carnes, grãos, frutas e outros alimentos naturais que existem no mercado. Temos diante de nós uma enorme gama de possibilidades para escolher. Basta definir critérios de escolha. Cortar de uma vez os alimentos calóricos da dieta é uma atitude cruel e ineficaz.  O seu paladar não iria esquecer os prazeres que aqueles alimentos já proporcionaram e você acabaria cedendo à tentação de voltar a eles como um faminto desesperado. Para funcionar, a dieta deve ser racional e constante, com um mínimo de concessão aos seus desejos, mas sem se deixar levar pela impulsividade.  

quinta-feira, 6 de março de 2014

HORÁRIOS DAS AULAS DE FITNESS

Nossos horários estão no final da página!!!

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

EXERCÍCIO FÍSICO X CÂNCER

          A atividade física regular não só traz inúmeros ganhos, como também previne perdas associadas à inatividade oriunda de períodos de afastamento das atividades usuais em decorrência do tratamento do câncer ou de suas manifestações.  Em casos de inatividade acentuada, como aquela presente quando uma internação hospitalar se faz necessária, são observadas perdas consideráveis da capacidade cardiovascular e muscular, entre outras consequências.  Estudos com pacientes restritos ao leito evidenciam perda de capacidade cardíaca e de força muscular aproximada de 1% ao dia (segundo diferentes estudos: 0,7 – 1,5%/dia), até um nível platô de perda entre 20 a 50%, bem como perda de massa óssea.  A perda de força muscular afeta com maior intensidade os músculos relacionados à sustentação de peso e manutenção da postura, ou seja, os músculos antigravitacionais, como músculos lombares e extensores de membros inferiores.  Sendo assim, durante uma possível internação, assim que estabilizado o quadro clínico, devem ser introduzidos exercícios com finalidade terapêutica.  O simples permanecer em pé (ortostatismo) implica em gasto energético 16 a 19% superior ao despendido no repouso em posição sentada. 
 
Além dos benefícios gerais associados à prática regular de atividade física, muito conhecidos e divulgados, como a melhora da capacidade cardiopulmonar e metabólica, do condicionamento musculoesquelético, da saúde mental, da imunidade e do sono, há benefícios específicos observados em pacientes oncológicos.  Entre os benefícios específicos observados, merecem destaque: o ganho de funcionalidade (melhora da capacidade física e maior independência para a realização de atividades do cotidiano), de qualidade de vida, a melhora da fadiga, comum em pacientes com câncer, e a redução da recorrência e mortalidade em alguns cânceres.  E, seu conhecido impacto sobre a saúde mental é particularmente benéfico, uma vez que a depressão também é muito prevalente nesta população. Um estudo envolvendo pacientes com diferentes tipos de câncer, em tratamento quimioterápico, evidenciou que os pacientes submetidos a um programa de exercícios por seis semanas apresentaram redução da fadiga, melhora da vitalidade, força muscular, funcionalidade, bem como da capacidade aeróbia.   O programa de exercícios incluiu treino cardiovascular (atividade aeróbia - caminhada), treino de resistência (“musculação”) e relaxamento, três vezes por semana, e atividades de consciência corporal e relaxamento uma vez por semana, com um total de nove horas de atividade por semana.
 
Atividade FísicaUm estudo envolvendo pacientes em seguimento de câncer de mama, próstata, colorretal, bexiga, útero e melanoma, demonstrou que a prática regular de atividade física contribuiu de forma significativa para a melhora da qualidade de vida dos pacientes. No que diz respeito ao câncer de mama, a prática da atividade física melhora a capacidade cardiopulmonar, a fadiga, a composição corpórea e atua na prevenção dos efeitos do imobilismo associados à inatividade e na manutenção da capacidade funcional para a realização de atividades cotidianas.  O exercício auxilia o controle de peso e do conteúdo de gordura corpórea, e influencia o nível de hormônios circulantes ligados ao câncer de mama.  Leva a redução de substâncias relacionadas ao crescimento tumoral. Um estudo com pacientes em seguimento de longa data para câncer de mama, próstata e cólon, com sobrepeso, evidenciou que um programa de orientação e incentivo para alimentação adequada e prática de atividade física domiciliar por 12 meses se mostrou significativo para a melhora da qualidade de vida dos pacientes.
 
Em pacientes com linfoma não-Hodgkin foi observado ganho de qualidade de vida naqueles que realizavam ao menos 150 minutos de atividade física moderada ou intensa por semana e também algum ganho naqueles que praticavam alguma atividade física, em comparação a sedentários.  Achados positivos, com melhora da qualidade de vida, capacidade cardiovascular, fadiga, saúde geral e mental também foram observados em um outro estudo com pacientes com diferentes tipos de linfoma. Em um estudo com mulheres com câncer de mama foi observado que aquelas que realizavam atividade física regular, como caminhada rápida, por 2 a 3 horas por semana, apresentaram redução do risco de morte de 45% durante o tempo de seguimento do estudo.  Outro estudo conseguiu demonstrar maior sobrevida de mulheres com câncer de mama que praticavam atividade física regular e seguiam uma dieta rica em frutas e verduras. Em pacientes com câncer de cólon foi evidenciado que pacientes que realizavam ao menos 150 minutos de atividade física moderada ou intensa por semana apresentavam índices de qualidade de vida em média 18% superiores.  Um outro  grupo de pesquisadores observou ainda que a prática regular de atividade física teve impacto na redução da recorrência e mortalidade de câncer colorretal – seus achados foram publicados em dois estudos recentes.
 
Quais os possíveis mecanismos responsáveis pelos efeitos benéficos da atividade física em pacientes com câncer?
Acredita-se que os principais mecanismos envolvam sua influência sobre a indução da carcinogênese (iniciação e progressão tumoral), sobre o metabolismo, a imunidade, os níveis hormonais, fatores de crescimento, a redução da inflamação, a supressão da angiogênese e a redução da gordura corporal.
 
A gordura abdominal acumulada apresenta atividade metabólica intensa e está associada à carcinogênese.  A atividade física pode reduzir a obesidade, que está associada ao câncer de cólon, de mama em mulheres pós-menopausa e de endométrio, e reduzir os níveis de hormônios sexuais endógenos associados ao câncer de mama, próstata e endométrio.
 
No que diz respeito à melhora da imunidade, é sabido que a prática regular de atividade física apresenta este efeito, com aumento da atividade das células de defesa como macrófagos e linfócitos, no entanto não há comprovação de seu efeito sobre os cânceres que envolvem diretamente as células do sistema imunológico.
 
Adicionalmente, a prática regular de atividade física reduz os níveis de insulina, glicose, triglicérides e eleva os níveis da fração HDL do colesterol, que também estão associados ao risco de desenvolver alguns tipos de câncer.

QUAIS SÃO AS ATIVIDADES MAIS INDICADAS?
Cada paciente deve ser avaliado e orientado quanto à prática de atividades seguras e efetivas, nas diferentes fases de seu tratamento e seguimento.  A atividade física recomendada deve ser definida individualmente, conforme apresentação clínica e a identificação de necessidades específicas.  Na ausência de contra-indicações, há evidências suficientes para recomendar a prática regular de atividade física, pelos inúmeros benefícios que traz à saúde geral e às demandas específicas do paciente oncológico.
 
Na fase terapêutica, o exercício deve ser prescrito por médico, conforme a avaliação clínica e o levantamento das demandas de cada paciente.  Na dependência das necessidades e do quadro clínico, pode ser indicado o exercício a ser realizado sob supervisão presencial, sob supervisão à distância (paciente é orientado e leva instruções para a realização dos exercícios, e realiza seguimento periódico), ou pode ser orientado exercício a ser realizado sem supervisão.  A supervisão presencial pode ser realizada por fisioterapeutas, sendo que estes os profissionais atuam de forma significativa na fase terapêutica e de seguimento, e por educadores físicos especializados, que atuam nas fases de manutenção e de condicionamento.
 
Idealmente, deve-se realizar atividades que incluam exercícios aeróbios, treino de resistência e flexibilidade, e cada sessão de treinamento deve precedida de exercícios de aquecimento, por cerca de 10 minutos, para a redução do risco de lesões.  Os exercícios aeróbios são aqueles que envolvem grandes grupos musculares em atividades moderadas a intensas, de natureza rítmica, resultando em elevação sustentada da frequência cardíaca, como: caminhada com passos acelerados, jogging, corrida, ciclismo, natação, dança, entre outras modalidades.  Os mesmos devem ser praticados por no mínimo 30 minutos, com frequência mínima de 5 vezes por semana para otimizar os benefícios advindos de sua prática (fala-se também em 150 minutos semanais a serem distribuídos ao longo da semana).  Sua prática resulta em melhora do condicionamento cardiovascular, promove gasto calórico e também contribui para o condicionamento musculoesquelético da musculatura envolvida na modalidade praticada.  A atividade em nível moderado aumenta a frequência cardíaca e respiratória, mas permite que o praticante mantenha alguma conversação durante a atividade, já no nível intenso a conversação se torna mais difícil.
 
O treino de resistência, na ausência de contra-indicações, deve envolver a musculatura dos quatro membros e do tronco, com enfoque na musculatura proximal dos membros (abdutores, adutores, extensores e flexores de ombro e quadril, extensores e flexores do cotovelo e joelho) e do tronco (peitorais, abdominais e extensores da coluna), com adoção de posturas e arcos de movimento que evitem sobrecarga indevida das articulações. Recomenda-se que cada exercício envolva 2 a 3 séries de 8 a 12 repetições.  Deve ser iniciado com baixa carga e seguido de incrementos graduais, conforme tolerância e condicionamento.  O treino de resistência deve ser realizado com frequência de 2 a 3 vezes por semana.
 
O fortalecimento muscular e condicionamento músculo-esquelético contribuirão para o desempenho nas atividades cotidianas e aeróbias, para proteção articular e prevenção de lesões, e para o aumento do metabolismo basal e controle ponderal.  O treino de resistência é também benéfico para minimizar os efeitos da depleção hormonal androgênica sobre o condicionamento musculoesquelético em pacientes com câncer de próstata com necessidade deste tratamento.
 
Um estudo demonstrou que a manutenção do treino de resistência após alta de um programa de reabilitação se mostrou eficaz para a manutenção dos ganhos obtidos após um ano e para a melhora da qualidade de vida.
Por muito tempo, o treino de resistência foi contra-indicado para pacientes que apresentassem linfedema, que está comumente associado ao pós-operatório de câncer de mama.  No entanto, estudos recentes demonstram não só ausência de malefícios, como também benefícios em relação à sua prática, uma vez que sejam realizados com a devida orientação.
 
Os exercícios de alongamento (treino de flexibilidade) devem ser realizados ao final do treino para otimizar o ganho de flexibilidade (uma vez que ao final do treino o corpo está bem aquecido), e deve envolver a musculatura mais susceptível a retrações e encurtamentos, como: toda musculatura de cadeia posterior (de dorso – cervical, torácica, lombar  e de membros inferiores – extensores e abdutores de quadril, flexores de joelho e os dorsiflexores plantares).  Recomenda-se o alongamento estático e cada postura de alongamento deve ser mantida por 30 segundos e repetida 3 vezes a cada sessão.
 
Alguns pacientes podem apresentar demandas para a realização de outros exercícios com finalidade terapêutica, como: exercícios para o equilíbrio, a coordenação, a propriocepção (sensibilidade profunda que nos informa a posição de nosso corpo no espaço), e para o ganho de funcionalidades específicas, que poderão ser incorporados ao programa de treinamento.
Fonte: www.hospitalsiriolibanes.org.br 
 
 

ATIVIDADES FÍSICAS E O PACIENTE COM CÂNCER

No passado, acreditava-se que pacientes em tratamento de doenças crônicas, como câncer ou diabetes, deviam manter-se em repouso e reduzir suas atividades físicas. Hoje em dia, só precisam seguir essas orientações se o movimento provoca dor, aumento da frequência cardíaca ou falta de ar. Recentes pesquisas demonstram que a prática de exercícios não só é segura e possível durante o tratamento do câncer, como também pode melhorar a disposição, o corpo e também a qualidade de vida do paciente.
Por outro lado, o repouso em excesso pode resultar em perda funcional, atrofiamento muscular, além de reduzir a amplitude dos movimentos do paciente.
Confira alguns dos benefícios da prática regular de exercícios durante o tratamento:
  • Manter ou melhorar sua capacidade física.
  • Melhorar o equilíbrio, diminuindo o risco de quedas e ossos quebrados.
  • Evitar o atrofiamento dos músculos.
  • Diminuir o risco de doença cardíaca.
  • Diminuir o risco de osteoporose.
  • Melhorar o fluxo sanguíneo.
  • Tornar o paciente independente para suas atividades cotidianas.
  • Melhorar a autoestima.
  • Diminuir o risco desenvolver depressão.
  • Diminuir as náuseas.
  • Melhorar o humor e o relacionamento social.
  • Evitar a fadiga.
  • Ajudar a controlar o peso.
  • Melhorar a qualidade de vida.
Programa de Exercícios
Embora haja muitas razões para ser fisicamente ativo durante o tratamento do câncer, o programa deve ser baseado no que é seguro, eficaz e agradável para cada paciente. O programa deve levar em conta os programas anteriores de exercícios que o paciente já costumava seguir antes da doença e também seus novos limites. Portanto, o programa de exercícios deve ser adaptado aos seus interesses e necessidades.
O que levar em consideração:
  • Tipo e estadiamento da doença.
  • Tipo de tratamento.
  • Condicionamento físico.
Só inicie a prática de exercícios físicos após liberação de seu médico oncologista, e certifique-se que o profissional que irá elaborar sua rotina de exercícios conhece seu diagnóstico e suas limitações.
Precauções
  • Certifique-se que seus níveis sanguíneos estão adequados.
  • Não faça exercícios físicos se estiver com anemia.
  • Se suas taxas sanguíneas estiverem baixas evite locais públicos.
  • Não pratique atividades físicas se o nível dos minerais no sangue, como sódio e potássio, não estiverem normais.
  • Se você se sente cansado e sem vontade de praticar exercícios físicos, tente pelo menos fazer 10 minutos de alongamento diariamente.
  • Evite superfícies irregulares e exercícios que possam fazer você se machucar.
  • Evite exercícios que provoquem muita tensão nos ossos, se você tem osteoporose, metástase óssea, artrite e lesões nos nervos.
  • Se você tem problemas de equilíbrio, prefira a bicicleta ergométrica à esteira.
  • Avise seu médico se ganhar peso sem motivo aparente, tiver falta de ar ao mínimo esforço, tontura, dores, inchaços e visão turva.
  • Observe a ocorrência de sangramentos, especialmente se estiver tomando anticoagulantes.
  • Evite piscinas com cloro se tiver feito radioterapia.
  • Se você estiver usando um cateter, evite esportes aquáticos e outros riscos que podem causar infecções. Evite também treinos de resistência que exercitem os músculos na região do cateter.
Exercícios
Para obter melhores resultados é importante que você monitore seu coração. Preste atenção à sua frequência cardíaca, sua respiração, e seu cansaço. Se você tiver falta de ar ou se sentir muito cansado, pare e descanse um pouco, quando se sentir bem novamente retorne os exercícios. Respeite sempre o seu ritmo. Tenha cuidado se você estiver tomando remédios para controlar a pressão, pois sua frequência cardíaca pode não subir, mas sua pressão pode ficar elevada.
Não existe uma rotina definida de exercícios para pacientes com câncer. Essa rotina depende de cada paciente, e é importante que ajude a manter a resistência, força muscular e flexibilidade, mantendo o paciente capaz de realizar as coisas que quer e precisa fazer. Quanto mais o paciente se exercita, melhor irá se sentir.
É comum que pessoas que já praticavam exercícios regulares antes do diagnóstico do câncer, precisem reduzir a intensidade e a quantidade de exercício durante o tratamento. Mesmo que seja necessário parar com os exercícios físicos, é importante se manter ativo.
O que levar em conta ao planejar um novo programa de exercícios
  • Converse com seu médico sobre os tipos de exercícios que você poderá fazer.
  • Comece devagar e vá aumentando o ritmo lentamente, respeitando os limites do seu corpo. Mesmo que no começo você só possa fazer alguns minutos de exercícios por dia, você já se sentirá melhor.
  • Faça pequenas séries de exercícios com intervalos frequentes.
  • Inclua exercícios que trabalhem a força, flexibilidade e capacidade aeróbica.
  • Sempre faça um aquecimento antes de iniciar os exercícios. E no término das sessões faça um alongamento trabalhando sempre a respiração.
Fadiga e Câncer
A maioria dos pacientes com câncer percebe que tem muito menos energia do que antes. Durante o tratamento, cerca de 70% dos pacientes apresentam fadiga. Esse tipo de cansaço do corpo e do cérebro não melhora com o repouso. Para muitos, a fadiga é intensa e limita suas atividades. A inatividade leva à perda de massa muscular e perda de função.
Um programa de exercícios aeróbicos pode ajudar a fazer você se sentir melhor, podendo inclusive ser prescrito como tratamento para fadiga em pacientes com câncer.
Dicas para reduzir a fadiga:
  • Estabeleça uma rotina que permita que você faça os exercícios diariamente.
  • Exercite-se regularmente.
  • Faça pausa entre as séries de exercício.
  • A menos que seja indicado o contrário, mantenha uma dieta equilibrada, que inclua proteínas, e beba cerca de 8 a 10 copos de água por dia.
  • Faça atividades que lhe dão prazer.
  • Use técnicas de relaxamento e visualização para reduzir o estresse.
  • Peça ajuda quando precisar.
Exercícios Simples e Divertidos
O segredo é manter seu programa de exercícios simples e divertido. Técnicas de exercícios e relaxamento são ótimas maneiras de aliviar o estresse, que permitem que você se sinta melhor.
Dicas para melhorar o interesse pelos exercícios
  • Defina metas de curto prazo e longo prazo.
  • Concentre-se em se divertir.
  • Faça exercícios diferentes, tente dança, ioga, ou tai chi chuan.
  • Anote seu progresso, reconhecendo e recompensando suas realizações.
Adicione Atividade Física à sua Rotina
  • Dê uma volta pelo seu bairro após o jantar.
  • Ande de bicicleta.
  • Se mora em casa, corte a grama e varra o quintal.
  • Lave seu banheiro.
  • Lave seu carro.
  • Brinque com as crianças.
  • Passeie com o cachorro.
  • Dance.
  • Faça exercícios enquanto assiste TV.
  • Dispense o carro em pequenos trajetos.
  • Use as escadas em vez de elevador.
Boa sorte e bom exercício!
  • Fonte: Oncoguia
  • - Data da última atualização: 29/07/2012

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

ATENDIMENTO PERSONALIZADO PARA MULHERES EM GRAVATAÍ VOCÊ SÓ ENCONTRA NA ACADEMIA CORPO & SAÚDE

Título de reportagem:
" Academias inovam e apostam no atendimento personalizado:

O Brasil é considerado o segundo maior mercado mundial de academias, com 12 mil estabelecimentos, perdendo apenas para os Estados Unidos. Acompanhando esse crescimento e a tendência pela busca de qualidade de vida da população, que o setor de fitness inova para conquistar novos públicos.
A lista de exercícios que parece uma receita de bolo, igual para todos os alunos, é coisa do passado. A aposta é na individualização dos treinamentos. Desenvolver um programa de atividades que se encaixa nas necessidades de cada pessoa. Os resultados são bons e o acompanhamento personalizado permite que o treinamento fique mais perto do ideal".

Há quase 13 anos eu me comprometi a fazer este tipo de atendimento às minhas alunas, isso quer dizer que sempre estive inovando então?!!! Que bom sempre estive no caminho certo. Hoje percebo que, cada vez mais as pessoas estão procurando um lugar em que elas não sejam apenas mais uma, procuram um espaço em que realmente possam ser orientadas e estimuladas o tempo todo.

Estamos com nosso Horário Especial (segundas e quartas 20h30 as 21h30) para os homens fazendo muito sucesso porque, até eles estão descobrindo a importância de um treinamento bem orientado. Que fique bem claro que: nossa academia das 8h as 20h30 é exclusivamente feminina. Abrimos uma exceção para os homens depois deste horário.
 Academia Corpo & Saúde Cuidando do seu corpo e da sua saúde!!!


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

HALLOWEEN 2013

Nossa semana de Halloween ( 28/10 a 31/10) foi um sucesso, aulas lotadas e muita animação:


A Bruxa usou vários looks....


Minha amiga-irmã...



Outro look usado...


Essa turma é MARAVILHOSA!!!


3º look: Óculos, sem dente e com silicone. Tudo para divertir nossas alunas...

Essa turma da noite é ESPECIAL!!!